Pular para o conteúdo principal da pagina
água saindo de cano saneamento

Mercado

Sanepar (SAPR11) 4T23: receita mantém dinâmica forte com maiores investimentos, positivo.

BB analisa resultados do 4o TRI 23: Consideramos os resultados do trimestre e consolidado de 2023 excelentes, mas já incorporados em nossa avaliação, em que estimamos o preço-alvo muito próximo ao preço atual das ações, e por isso, mantemos nossa recomendação neutra.

Publicado por: Análise BB

conteúdo de tipo Leitura3 minutos

Atualizado em

09/02/2024 às 16:58


A Sanepar divulgou seu resultado referente ao 4T23 e exercício de 2023 ontem (8/2), após o fechamento de mercado, trazendo mais uma vez (i) boa evolução em volumes faturados e impacto positivo do reajuste tarifário, (ii) dinâmica de custos e despesas também ainda favorável, com impacto positivo do novo plano de renegociação de créditos já dando bons frutos por todo o ano, mas neste trimestre sendo limitado por algumas linhas.

A receita líquida veio em R$ 1.697 milhões no 4T23, alta de 15% a/a, favorecida pelo reajuste tarifário de 8,23% em maio de 2023, bem como na expansão do volume faturado (+6,7% a/a em água e +9,0% a/a em esgoto) estimulado pelo clima, pela redução de perdas e pela expansão no número de ligações de água (+1,1% a/a) e de esgoto (+3,0% a/a) com os investimentos recentes. Em 2023 a receita somou R$ 6.292 milhões, em alta de 10,9% a/a, com crescimento anual do volume produzido de 3,4% em água e do volume coletado de esgoto em 7,5%.

Os custos e despesas operacionais excluindo depreciação e amortização somaram R$ 974 milhões no 4T23, montante 11,6% superior ao reportado um ano antes (4T22), em ritmo inferior ao crescimento da receita, porém mais forte que o reportado nos últimos trimestres. A alta foi puxada por energia elétrica e serviços de terceiros crescendo acima da receita e continuou sendo beneficiada pela gestão de créditos com o novo programa de parcelamento de dívida de clientes. Em 2023 o total de custos e despesas ex-D&A foi R$ 3.4 bilhões (+0,1% a/a), também favorecidos pela recuperação de créditos.

O EBITDA no 4T23 veio em R$ 722 milhões (+20,1% a/a) com margem EBITDA de 42,6% e somou R$ 2,8 bilhões em 2023 (+27,7% a/a), com margem EBITDA de 44,9%.

O resultado financeiro do 4T23 prejudicou o trimestre, vindo negativo em R$ 141 milhões (+111% a/a), com o impacto não recorrente R$ 87 milhões da extensão e uniformização de prazo de vencimento de 319 contratos de prestação de serviço realizado em outubro ajustando a contabilização do ativo financeiro. Em 2023 o resultado financeiro foi negativo em R$ 323 milhões (+33% a/a). Por fim, o lucro líquido no 4T23 foi de R$ 365 milhões, alta de 3,9% na comparação anual, somando R$ 1,5 bilhão em 2023, em alta de 30,6% na comparação anual.

O resultado reportado deu continuidade à tendência positiva apresentada nos últimos trimestres, que garantiram forte alta das ações no mercado, porém a dinâmica de custos e despesas neste trimestre foi menos benéfica, e ressaltamos que o momento positivo apresentado pela companhia já está contemplado em nossa avaliação, na qual estimamos o preço justo das units em R$ 27,50, próximo ao preço atual de mercado e portanto sem potencial de valorização, nos levando a manter nossa recomendação Neutra para os papéis.

Enxergamos espaço no balanço para maior distribuição de dividendos mesmo com o plano de investimentos robusto, o que inclusive levaria a um maior uso de capital de terceiros otimizando a estrutura de capital, com impacto positivo na taxa de desconto usada em nossa avaliação.

Disclaimer

Este é um relatório público e foi produzido pelo BB-Banco de Investimento S.A. (“BB-BI”). As informações e opiniões aqui contidas foram consolidadas ou elaboradas com base em informações obtidas de fontes fidedignas e de boa-fé, tendo sido tomadas medidas razoáveis para assegurar sua exatidão no momento de publicação. Contudo, o BB-BI não garante que tais dados sejam totalmente isentos de distorções e não se compromete com a veracidade dessas informações. Todas as opiniões, estimativas e projeções contidas neste documento referem-se à data presente e derivam do julgamento de nossos analistas de valores mobiliários (“analistas’), podendo ser alteradas a qualquer momento sem aviso prévio. O BB-BI não garante o lucro e não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas nesse material, que tem por finalidade apenas informar e servir como instrumento que auxilie a tomada de decisão de investimento, não devendo ser  interpretado como material promocional, recomendação, oferta ou solicitação de oferta para comprar ou vender quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Investimentos nos mercados financeiros e de capitais estão sujeitos a riscos de perda superior ao capital investido. A rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura. Nos termos do art. 22 da Resolução CVM 20/2021, o BB-BI, em conjunto com o Conglomerado Banco do Brasil S.A. (“Grupo”), declaram que (i) podem ser remunerados por serviços prestados ou possuir relações comerciais com a(s) empresa(s) analisada(s) neste relatório ou com pessoa natural ou jurídica, fundo ou universalidade de direitos, que atue representando o mesmo interesse dessa(s) empresa(s); (ii) podem possuir participação acionária direta ou indireta, igual ou superior a 1% do capital social da(s) empresa(s) analisada(s), e poderão adquirir, alienar ou intermediar valores mobiliários da(s) empresa(s) no mercado. 

Quer dar uma nota para este conteúdo?

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência e personalizar os conteúdos de acordo com a nossa

Política de Privacidade.