água corrente caindo em ralo de pia

Mercado

Sabesp: Equatorial foi único investidor de referência a entregar documentação em privatização

Publicado por: Broadcast Notícias

conteúdo de tipo Leitura3 minutos

Atualizado em

02/07/2024 às 10:27

Única empresa a entregar proposta por 15% de participação na Sabesp, a Equatorial foi qualificada como investidor de referência na privatização da companhia de saneamento do Estado de São Paulo, de acordo com o governador Tarcísio de Freitas.

Segundo o governador, a Equatorial deve investir cerca de R$ 7 bilhões pela fatia de 15%. "Estamos satisfeitos com o resultado e o andamento do processo", afirmou Tarcísio, de Londres, onde participa de encontro com investidores estrangeiros, depois de passar por Nova York na semana passada.

A expectativa é de que a privatização da Sabesp movimente cerca de R$ 15 bilhões. Além de ser a maior no Brasil este ano, a oferta da Sabesp concorre para se tornar a quinta maior do mundo em 2024.

A Equatorial, que começou a operar em saneamento mais recentemente, deverá ser o investidor individual com maior influência na gestão da companhia, ao lado do governo, que permanecerá com 18% da Sabesp. Ambos terão três assentos no Conselho de Administração.

A privatização da Sabesp prevê compromisso de investimentos da ordem de R$ 70 bilhões até 2029 para universalização da água e esgoto no Estado de São Paulo. A Equatorial também não poderá investir em áreas em outros locais que concorram com a Sabesp.

A precificação está prevista para o dia 18 de julho e até lá vários encontros estão ocorrendo entre o governo do Estado de São Paulo, representantes dos bancos que coordenam a oferta e investidores locais e estrangeiros. Na segunda-feira, 1º, começa o período de reserva de ações para o investidor de varejo, que se encerra no dia 15 do mesmo mês. Cerca de 18% da fatia à venda do governo paulista vai para o varejo, incluindo venda para pessoas físicas, aposentados e funcionários da Sabesp.

Até o início desta semana, havia sinalização de que a companhia de saneamento Aegea também faria uma proposta. No entanto, desistiu, entre outros motivos, por conta da margem apertada do "poison pill", um gatilho por meio do qual um investidor é obrigado a lançar uma oferta de compra de ações ao mercado se ultrapassar determinada fatia de participação na companhia. No caso da Sabesp, esse porcentual é 30%. A Aegea tem entre seus acionistas o Itaúsa e o fundo soberano de Cingapura (GIC), que tem vários fundos, os quais eventualmente podem ter acréscimo de posições em Aegea.

Muitos dos potenciais interessados questionaram também a previsão de um plano de universalização até 2029 muito audacioso e desvantagens financeiras para a entrada de grandes fundos que não são investidores estratégicos. Ficaram pelo caminho a gestora IG4, a francesa Veolia, Cosan, os canadenses da Brookfield e o grupo Votorantim.

Quer dar uma nota para este conteúdo?

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência e personalizar os conteúdos de acordo com a nossa

Política de Privacidade.