Pular para o conteúdo principal da pagina
cartela de remédios amarelos em fundo amarelo

Mercado

Rede D'Or (RDOR3) 4T23: neutro, com melhora tímida de sinistralidade

Números positivos das operações de hospitais, mas melhora tímida da sinistralidade da SulAmérica

Publicado por: Análise BB

conteúdo de tipo Leitura5 minutos

Atualizado em

27/05/2024 às 15:08


A Rede D’Or reportou, em nossa opinião, um resultado neutro no 4T23, com números positivos das operações de hospitais, mas melhora tímida da sinistralidade da SulAmérica. Além disso, destacamos o aumento do prazo médio de recebimento (para 129 dias, um aumento de 6 dias versus o trimestre anterior) como um ponto de alerta sobre o momento ainda desafiador para as operadoras de saúde. O EBITDA ajustado consolidado somou R$ 1,5 bilhão no trimestre (-14,5% t/t), com redução de 2,4 p.p. na margem.

No segmento de hospitais, oncologia e outros serviços, o EBITDA e a margem EBITDA tiveram evolução de 17,2% e 1,5p.p., respectivamente, em relação ao mesmo período do ano anterior. Sob desempenho mais fraco característico do último trimestre, a taxa média de ocupação de 76,4% foi 0,5 p.p. abaixo do registrado no 4T22. Na visão anual, a taxa de 79,5% igualou a marca histórica da companhia, mesmo com adição de leitos.

Na SulAmérica, a sinistralidade foi de 85,1% (-8,0 p.p. a/a), patamar ainda elevado, mas seguindo o ritmo de melhora gradual ao longo do ano diante dos reajustes nos preços e esforços da companhia na gestão dos sinistros. A receita líquida também refletiu a evolução do ticket médio e totalizou R$ 6,6 bilhões no 4T23 (+9,9% a/a) e R$ 25,6 bilhões em 2023 (+15,7% a/a).

Reiteramos nossa recomendação de compra para RDOR3 baseada em (i) sua posição de liderança de mercado no setor hospitalar privado com ampla infraestrutura, (ii) comprovada experiência e consistência de crescimento orgânico e inorgânico e (iii) balanço financeiro e indicadores operacionais sólidos.

Destaques operacionais e financeiros

Rede D´Or

tabela descritiva de informações RDOR3

SulAmérica

tabela descritiva de informações RDOR3

Consolidado

tabela descritiva de informações RDOR3

A Rede D’Or encerrou o 4T23 com 9,6 mil leitos operacionais (129 leitos a mais que ao final do mesmo período do ano anterior e em linha com o registrado no 3T23). No trimestre, houve avanços na fase final de obras, entre elas, o Hospital Memorial Star, no Recife, que entrará em operação no mês de abril com 150 leitos totais. A taxa de ocupação média de 76,4%, queda de 3,7 p.p. em comparação ao trimestre anterior, seguiu a tendência sazonal histórica do quarto trimestre.

A receita líquida da operação de hospitais, oncologia e outros serviços atingiu R$ 6,3 bilhões no trimestre, crescimento de 9,3% a/a, impulsionada pelo avanço do ticket médio (+8,5%), em razão da variação no perfil de atendimentos mais complexos, como cirurgias (4,9% a/a).

Os custos totais cresceram 6,1% na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, concentrados nas linhas de serviços de terceiros, pessoal e materiais e medicamentos. A margem bruta avançou 2,3 p.p. frente ao mesmo trimestre do ano anterior, registrando 23,6% no trimestre, demonstrando melhor desempenho da receita em relação aos custos.

Como resultado, o EBITDA das operações de serviços hospitalares totalizou R$ 1,5 bilhão, um crescimento de 8,6% a/a, com margem de 22,7% (+1,5 p.p. a/a).

Com relação às operações da SulAmérica, a receita líquida alcançou R$ 6,6 bilhões no trimestre (+9,9 % a/a) e R$ 25,6 bilhões em 2023 (+15,7 % a/a). O total de beneficiários de saúde e odonto apresentou pequena evolução anual (+0,8%) mesmo diante dos relevantes ajustes de preços realizados ao longo do ano, que se refletiu na melhora da sinistralidade consolidada que atingiu 85,1%, nova evolução sequencial (-1,2 p.p.) e também em relação ao mesmo trimestre do ano anterior (-8,0 p.p.).

Além dos reajustes, a companhia reiterou que tem intensificado esforços para gestão dos sinistros com iniciativas direcionadas às frentes de fraudes e reembolso, e coordenação da saúde. O EBITDA das operações da SulAmérica foi de R$ 60,5 milhões, enquanto o EBITDA ajustado pelo resultado financeiro dos ativos vinculados totalizou R$ 301,7 milhões.

Em relação aos números consolidados (Rede D’Or + SulAmérica), a receita líquida totalizou R$ 11,9 bilhões, o EBITDA ajustado atingiu R$ 1,8 bilhão (margem de 14,8%) e o lucro líquido foi de R$ 668,1 milhões.

A companhia encerrou o trimestre com uma dívida líquida (excluindo as provisões técnicas de seguros) de R$ 16,9 bilhões e alavancagem financeira, medida pelo indicador dívida líquida/EBITDA ajustado¹, em 2,3x, redução de 0,5x em relação ao 4T22 e em linha com o 3T23. O custo médio da dívida é de CDI + 1,1%, com prazo médio de vencimento de 5,5 anos.

RDOR3 vs Ibov e Perspectivas

Em fevereiro as ações da Rede D’Or apresentaram desvalorização após o anúncio feito pela Unimed Nacional (CNU) de descredenciamento total ou parcial de 37 hospitais nos planos individuais, PME e de afinidade de saúde, sendo a Rede D'Or a mais afetada, com 12. Após melhor avaliação por parte dos investidores e do mercado sobre a representatividade do evento para companhia – cerca de 1-2% dos leitos operacionais, cujo impacto estimamos ser inferior a 1% da receita consolidada – as ações se recuperaram. O retorno acumulado em 12 meses é inferior ao do Ibovespa.

Reiteramos nossa recomendação de compra para RDOR3 com preço-alvo estimado de R$ 34,00 para o final de 2024 baseada em (i) sua posição de liderança de mercado no setor hospitalar privado com ampla infraestrutura, (ii) comprovada experiência e consistência de crescimento orgânico e inorgânico e (iii) balanço financeiro e indicadores operacionais sólidos.

Disclaimer

Este é um relatório público e foi produzido pelo BB-Banco de Investimento S.A. (“BB-BI”). As informações e opiniões aqui contidas foram consolidadas ou elaboradas com base em informações obtidas de fontes fidedignas e de boa-fé, tendo sido tomadas medidas razoáveis para assegurar sua exatidão no momento de publicação. Contudo, o BB-BI não garante que tais dados sejam totalmente isentos de distorções e não se compromete com a veracidade dessas informações. Todas as opiniões, estimativas e projeções contidas neste documento referem-se à data presente e derivam do julgamento de nossos analistas de valores mobiliários (“analistas’), podendo ser alteradas a qualquer momento sem aviso prévio. O BB-BI não garante o lucro e não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas nesse material, que tem por finalidade apenas informar e servir como instrumento que auxilie a tomada de decisão de investimento, não devendo ser interpretado como material promocional, recomendação, oferta ou solicitação de oferta para comprar ou vender quaisquer títulos e valores mobiliários ou outros instrumentos financeiros. Investimentos nos mercados financeiros e de capitais estão sujeitos a riscos de perda superior ao capital investido. A rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura. Nos termos do art. 22 da Resolução CVM 20/2021, o BB-BI, em conjunto com o Conglomerado Banco do Brasil S.A. (“Grupo”), declaram que (i) podem ser remunerados por serviços prestados ou possuir relações comerciais com a(s) empresa(s) analisada(s) neste relatório ou com pessoa natural ou jurídica, fundo ou universalidade de direitos, que atue representando o mesmo interesse dessa(s) empresa(s); (ii) podem possuir participação acionária direta ou indireta, igual ou superior a 1% do capital social da(s) empresa(s) analisada(s), e poderão adquirir, alienar ou intermediar valores mobiliários da(s) empresa(s) no mercado.

Quer dar uma nota para este conteúdo?

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência e personalizar os conteúdos de acordo com a nossa

Política de Privacidade.