Pular para o conteúdo principal da pagina
esfera cor de rosa sob plataforma azul

Mercado

Novo índice da Bolsa, o Vix é focado em volatilidade

Publicado por: Broadcast Exclusivo

conteúdo de tipo Leitura3 minutos

19/03/2024 às 12:42

Atualizado em

20/05/2024 às 17:18

Por Júlia Pestana, Maria Regina Silva e Luana Pavani, do Broadcast

São Paulo, 19/03/2024 - A B3 e a S&P Dow Jones Índices (S&P DJI) lançam nesta terça-feira, 19, um novo índice para medir a volatilidade de curto prazo implícita nos preços das opções do Ibovespa. É o índice S&P/B3 Ibovespa VIX (VXBR), que funcionará em tempo real e dentro do horário de operação do mercado.

O VIX usa preços de opções de ações, os quais refletem as expectativas dos compradores e vendedores sobre a volatilidade do Ibovespa. No mercado, para calcular as opções do índice Bovespa os analistas incluem diversas variáveis, entre elas a volatilidade esperada, por isso o nome de volatilidade implícita.

  • Para o gerente de produtos de derivativos de equities da B3, Renato Munhoz, o objetivo do indicador é poder entender a amplitude do movimento e a expectativa do mercado em termos de oscilação do Ibovespa. "O intuito é unificar as oscilações e retirar a sensação do mercado em um único número", diz Munhoz.

O gerente de índices da B3, Henio Scheidt, explica que o cálculo do índice no Brasil levará em conta os dados do mercado de opções a partir de maio de 2021, quando um novo patamar em termos de volume de negociações foi alcançado. "Este novo patamar permitiu fazer o lançamento desse índice e possibilitou trazer para o mercado local uma metodologia que já é consolidada em outras partes do mundo", afirma.

O que é volatilidade

A volatilidade no mundo dos investimentos é uma medida de incerteza associada a um ativo. Ações ou opções de ações que têm variação significativa de preços em um período curto de tempo são consideradas mais arriscadas. Uma boa analogia é o sobe e desce de uma montanha russa em um parque de diversões.

No mercado de opções utiliza-se o modelo Black-Scholes, uma fórmula matemática para precificar os ativos. A conta considera cinco variáveis, sendo que a de maior peso na precificação é a volatilidade. Também são considerados taxa de juros, prazo para o vencimento do contrato, preço do ativo objeto e o preço da opção.

Risco ou medo?

O líder de gestão de produtos de bolsas de valores globais S&P Dow Jones Indices, Michael Orzano, comenta que a volatilidade implícita aumenta quando há turbulência nos mercados. "Mas quando os preços das ações sobem e não parece provável que ocorram mudanças radicais, o VIX tende a cair ou a se manter estável na parte inferior da sua escala". Ou seja, o VIX apresenta uma correlação negativa com o desempenho das ações, segundo ele.

Orzano comenta ainda que o VIX atinge seus níveis mais elevados quando há mais instabilidade no mercado de ações, por isso alguns se referem a ele como um "índice do medo".

Para tentar dissociar o VIX dessa ideia, o diretor sênior de vendas da S&P para Cone Sul, Paulo Eduardo Sampaio, explica que mais importante do que tentar encontrar um nome para o indicador é entender seu objetivo.

Ele argumenta que o novo índice acrescenta ao portfólio de produtos da B3 um indicador de volatilidade que pode ser usado por investidores como referência para medir a percepção do risco. "Deve ser visto como um amparo, e não como algo que assusta. Acredito que este termo não condiz com o que o indicador oferece".

  • A ideia da B3 é trazer ao público o conhecimento do VIX que, por ora, estará disponível gratuitamente no site da Bolsa, mas a expectativa é que assim que houver aumento no número de demandantes do indicador, poderá ser cobrado.

Quer dar uma nota para este conteúdo?

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência e personalizar os conteúdos de acordo com a nossa

Política de Privacidade.