Pular para o conteúdo principal da pagina
escadas em azul com seta branca subindo ao centro

Mercado

Nível de alavancagem de empresas listadas brasileiras é alto, diz consultor

Taxa Selic mexe com o custo da dívida das empresas de companhia aberta

Publicado por: Broadcast Exclusivo

conteúdo de tipo Leitura3 minutos

Atualizado em

14/05/2024 às 09:21

Por Gustavo Boldrini e Cristiane Barbieri, do Broadcast

São Paulo, 10/05/2024 - Um quarto das empresas de capital aberto estava sem capacidade de pagamento de suas dívidas financeiras no fim do ano passado, e pelo menos 45% delas tinham situação de alavancagem delicada, com endividamento três vezes superior à sua geração de caixa, segundo levantamento da consultoria RK Partners obtido pelo Broadcast . "É um número muito alto", afirmou o especialista em reestruturações corporativas Ricardo Knoepfelmacher, conhecido como Ricardo K, que lidera a RK Partners. "Com a tendência global de manutenção dos juros altos, muitas vão ter de renegociar dívidas nos próximos dois anos", acrescentou.

Os números do levantamento mostram ainda que mais de 20% das empresas listadas na B3 tinham seis vezes mais dívidas em relação ao que conseguiam gerar de caixa. O ideal, segundo Ricardo K, seria que esse porcentual estivesse na casa dos 15%.

O que é alavancagem?

O conceito de alavancagem é um dos mais importantes do mercado financeiro, em especial na análise de empresas listadas em bolsa. No geral, a ideia da alavancagem é medir a saúde financeira daquela companhia, ou seja, se ela está gerando caixa suficiente para cumprir com suas obrigações.

O indicador mais usual para medir a alavancagem das empresas é o múltiplo dívida líquida/Ebitda. É uma relação entre o endividamento daquela companhia em determinado período e o seu lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Lajida em português e Ebitda, em inglês). Esse múltiplo atesta o quanto o lucro gerado pelas operações daquela empresa é suficiente para pagar suas dívidas.

O número resultante dessa divisão equivale à quantidade de vezes, expressa pela letra x, ou a quantidade de exercícios fiscais anuais necessários para pagar a dívida com o caixa próprio das operações. Por convenção, entende-se que 2,5x é uma média aceitável de alavancagem, ou seja, que uma companhia pode levar 2,5 anos para conseguir saldar suas obrigações com esforço próprio, vindo do seu Ebitda.

Qual é a relação entre a taxa Selic e a alavancagem?

A taxa básica de juros de um país é o que determina o custo do crédito, ou seja, o custo das dívidas das famílias e das empresas em geral. Portanto, quanto maior a taxa básica de juros, maior o custo das dívidas corporativas, e isso pode afetar negativamente a alavancagem das empresas.

Na última quarta-feira (08), no Brasil, o Banco Central decidiu desacelerar o ritmo de corte de juro para 0,25 ponto porcentual, após seis cortes consecutivos de 0,50 pp. A pisada no freio dos cortes já vinha sendo alertada pelo próprio presidente do BC, Roberto Campos Neto, e prevista por economistas.

Dados mais fortes da inflação nos Estados Unidos elevaram preocupações mundo afora de que os juros no país terão de permanecer altos por mais tempo, o que acaba afetando os países de todo o mundo, incluindo o Brasil.

"Ao longo de minha carreira como economista, me acostumei a retratar o cenário econômico internacional como um ambiente bem mais estável se comparado ao contexto doméstico. Contudo, os últimos meses parecem ter invertido um pouco dessa lógica", afirmou Marcelo Rebelo, economista-chefe do Banco do Brasil, em comentário após a decisão do Copom.

Diante das incertezas em torno das futuras decisões de juros do Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos, e as mudanças de discurso dos dirigentes da instituição, o BB aumentou de 9,25% para 9,75% sua projeção para a taxa Selic ao final deste ano.

Quer dar uma nota para este conteúdo?

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência e personalizar os conteúdos de acordo com a nossa

Política de Privacidade.