Pular para o conteúdo principal da pagina
homens posicionados sob ponta de de gangorra em formato de U

Mercado

Já é hora de comprar? Confira a análise do 4T23 do Bradesco (BBDC4)

Segundo analistas do BB Investimentos, o Bradesco entregou no 4T23 um resultado negativo.

Publicado por: Análise BB

conteúdo de tipo Leitura4 minutos

Atualizado em

07/02/2024 às 13:52


O Bradesco apresentou um resultado que consideramos negativo no 4T23, com lucro líquido recorrente de R$ 2,88 bilhões, equivalente a um ROE trimestral de 9,6%. Apesar de favorecido pela tesouraria, que reacelerou resultado positivo, e pela receita de seguridade, o resultado foi negativamente compensado pelas receitas de juros, que recuaram, e pelas despesas com provisões que viram forte escalada. Acompanhando a divulgação do resultado fraco, o Bradesco anunciou um programa de reestruturação operacional.

Momento

O resultado do 4T23 do Bradesco trouxe, em nossa opinião, um agravamento das principais tendências do banco, que já vinham negativas, o que era de certa forma esperado dado o momento desfavorável do banco já há vários trimestres. Se até há pouco tempo buscávamos nos números um alento vindo do alívio da inadimplência, a partir do 3T23 passamos a também a monitorar mais de perto o fraco crescimento de carteira, e alguma possível reação na receita de juros – ambas punidas pelo movimento de seletividade implantado ao longo de 2022 e 2023 por conta da disparada da inadimplência. No 4T23 a inadimplência caiu, mas fato é que esta melhoria ficou completamente ofuscada pela negatividade das principais tendências vistas nas engrenagens do Bradesco. Apenas para nos mantermos nos pontos mais preocupantes: a margem com clientes (receita de juros) segue em declínio (-2,6% t/t e -11% a/a), assim como a própria carteira de crédito (0,1% t/t e -4,4% a/a), destoando de maneira significativa da indústria.

No 4T ainda vimos fatores extraordinários prejudicando o resultado: no âmbito do crédito, houve o reconhecimento de R$ 1,4 bilhão de PDDs adicionais por conta de dois casos específicos no atacado, enquanto outros R$ 500 milhões foram alocados como provisões para o movimento de reestruturação operacional. Embora consideremos a apresentação do plano de reestruturação logicamente positivo, e os custos associados a ele, um natural “passo para trás antes de dar dois para a frente”, não conseguimos deixar de, ao contabilizar todos os itens que vêm prejudicando o resultado sequencialmente, considerar este valor mais um remédio amargo na ampla receita prescrita visando a melhoria do Bradesco.

Desempenho das ações

Afirmamos com grande segurança que nenhuma ação do setor bancário tem estado tão presente no imaginário dos investidores, como “o único banco que ainda está barato”. De fato, dissociando-se preço de fundamentos, temos muitos indícios de que a ação está descontada. A relação preço/valor patrimonial abaixo de 1 e a mera comparação com a sua máxima histórica são frequentemente mencionados, apenas para citar dois.

  • Ao longo dos últimos 12 meses, no entanto, o Bradesco oscilou de forma predominantemente próxima ao Ibovespa, evidenciando que de forma geral a expectativa para o ativo não se modificou materialmente, com os investidores em compasso de espera por dias melhores no banco.

Perspectivas

O Bradesco divulgou uma série de projeções próprias (guidance) para 2024 que, em nossa visão, não agradou o mercado, já que infere que até mesmo para o Bradesco, um eventual retorno à “velha forma” (ROE na casa dos 20%), se eventualmente ocorrer, irá levar bastante tempo. Com uma carteira de crédito em expansão tímida, receitas de juros baixas por conta do mix mais conservador construído no período pós pandemia, e inadimplência ainda elevada, os números do Bradesco tendem a permanecer pouco animadores no curto prazo.

Mas existe um “no entanto” enorme aqui: considerando especialmente os prognósticos mais favoráveis da indústria (crédito voltando a acelerar em 2024, inadimplência em geral já melhorando) e o novo plano de reestruturação, que inclui uma racionalização mais profunda da estrutura do banco, temos de fato ingredientes capazes de direcionar uma melhoria. Se será de fato rápida, é a grande questão.

Preço-alvo e recomendação

Sem alteração no valuation por enquanto, mantemos nosso preço-alvo de R$ 18,40 para o final de 2024, o que representa um potencial de valorização de 28,1% com base no preço atual. Salientamos que este preço-alvo deriva da projeção de eventual retorno da capacidade operacional do Bradesco a índices históricos, ou seja, não contempla deterioração ou manutenção do mau momento atual por período prolongado. Mantemos, ainda, a recomendação neutra para as ações do Bradesco, entendendo que o fim do momento desafiador ainda não está claro.

Adendo: Com a queda de 13% das ações no momento em que escrevemos esse relatório, e com as ponderações apontadas na seção de perspectivas, consideramos alterar a recomendação para compra com alto risco, imaginando que, dado um favoritismo represado pela ação entre os investidores, pudéssemos ficar de fora de um rápido movimento de alta ao primeiro sinal de uma melhoria mais contundente. Optamos, no entanto, pelo conservadorismo e pela manutenção da recomendação neutra em última instância, aguardando um conforto maior vinda efetivamente de avanços concretos, mesmo que potencialmente de forma tardia.

Manteremos os investidores informados sobre possíveis revisões.

Disclaimer

Este é um relatório público e foi produzido pelo BB-Banco de Investimento S.A. (“BB-BI”). As informações e opiniões aqui contidas foram consolidadas ou elaboradas com base em informações obtidas de fontes, em princípio, fidedignas e de boa-fé. Embora tenham sido tomadas todas as medidas razoáveis para assegurar que as informações aqui contidas não sejam incertas ou equivocadas, no momento de sua publicação, o BB-BI não garante que tais dados sejam totalmente isentos de distorções e não se compromete com a veracidade dessas informações. Todas as opiniões, estimativas e projeções contidas neste documento referem-se à data presente e derivam do julgamento de nossos analistas de valores mobiliários (“analistas’), podendo ser alteradas a qualquer momento sem aviso prévio, em função de mudanças que possam afetar as projeções da empresa, não implicando necessariamente na obrigação de qualquer comunicação no sentido de atualização ou revisão com respeito a tal mudança. Quaisquer divergências de dados neste relatório podem ser resultado de diferentes formas de cálculo e/ou ajustes. O Disclaimer completo encontra-se no relatório.

Quer dar uma nota para este conteúdo?

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência e personalizar os conteúdos de acordo com a nossa

Política de Privacidade.