Pular para o conteúdo principal da pagina
água corrente caindo em ralo de pia

Mercado

Sabesp bate recorde histórico em meio à expectativa por precificação

Publicado por: Broadcast Notícias

conteúdo de tipo Leitura5 minutos

Atualizado em

10/07/2024 às 14:35

Por Elisa Calmon e Cynthia Decloedt

São Paulo, 10/07/2024 - A ação da Sabesp atingiu na manhã desta quarta-feira sua maior cotação na história: R$ 84,85. O recorde ocorre em meio à expectativa pela precificação da oferta de ações da empresa, prevista para 18 de julho. A operação, que vai privatizar a companhia, tem mostrado uma demanda aquecida, segundo fontes do mercado. As ações vêm sendo embaladas recentemente pelo processo de desestatização.

Os papéis da Sabesp acumulam alta perto de 14% em 2024 e de quase 54% nos últimos 12 meses. Só em julho, os ganhos chegam a 13,18%. Na primeira sessão deste mês, por exemplo, a ação subiu mais de 4% após o nome da Equatorial ser confirmado como acionista de referência na companhia.

O otimismo com as ações da Sabesp reflete a expectativa de ganhos de eficiência com a privatização, o que deve impulsionar os números da companhia. Além disso, demonstra o forte interesse de investidores em entrar na oferta subsequente de ações (*follow-on* ) na qual 17% dos papéis irão a mercado, em contrapartida a uma expectativa de baixa alocação. Na avaliação de vários gestores e operadores de ações, muitos não conseguirão comprar ações na oferta de privatização e estão se garantindo na Bolsa.

No início da semana passada, a demanda já superava R$ 40 bilhões, chegando ao redor de R$ 60 bilhões na sexta-feira, conforme apurou o Broadcast . "Com as ações sendo negociadas nas máximas, aumenta o interesse em entrar na oferta, que tem a referência dos R$ 67,00 ofertados pela Equatorial", afirma uma fonte de mercado. Na expectativa de um rateio e prevendo uma alocação baixa, várias casas estão inflando as ordens e os números relativos à demanda. "Há ordens gigantes sendo feitas", disse uma pessoa a par das movimentações.

A Equatorial ofereceu esta cifra para abocar 15% de participação na Sabesp. Na operação, a empresa desembolsará, pelo menos, R$ 6,869 bilhões. A entrada da companhia foi bem vista pelo mercado, sendo mais um gatilho positivo para as ações das duas empresas. A confirmação da aquisição, no entanto, ainda depende da conclusão da privatização.

Desconto

O valor proposto pela acionista de referência representa um desconto de 20,5% em relação à máxima histórica atingida hoje. Em relação ao valor base de R$ 72 utilizado pelo Estado de São Paulo no prospecto da oferta, a diferença é de 14%. No entanto, não é possível comparar com o valor mínimo estipulado pelo governo paulista para a operação, já que a cifra só será divulgada ao fim do processo.

Os porta-vozes do governo paulista reforçaram que o preço apresentado pela Equatorial veio acima do valor mínimo, o que era um requisito, e minimizaram o desconto. "A questão do deságio é em relação ao preço de tela hoje. Mas quanto a empresa valorizou desde o início do processo de privatização? Em maio do ano passado, o valor da ação era de R$ 44. O desconto em relação ao valor de tela é natural", afirmou o governador Tarcísio de Freitas (Republicanos) em entrevista exclusiva ao Estadão .

Leia também: Mercado de ações: tudo o que você precisa saber

Se ao final do processo de bookbuilding (definição de preço) o valor ficar acima dos R$ 67 proposto pela Equatorial, a companhia precisará pagar a diferença para adquirir a participação. Caso contrário, ou seja, se ficar abaixo deste patamar, a acionista de referência deverá fazer o pagamento da diferença diretamente ao governo paulista.

Com a privatização, o governo de São Paulo reduzirá sua participação na Sabesp de 50,3% para 18%. A Equatorial ficará com 15%, enquanto 17% vai a mercado para ser adquirido por investidores na Bolsa. Tarcísio comemorou a alta demanda por esta fatia. De acordo com o político, a procura pelas ações remanescentes supera de longe o valor ofertado pelo governo paulista.

  • O período de reservas dos papéis para investidores de varejo começou no dia 1º de julho e vai até o dia 15 deste mês. Com isso, no dia 18, ocorre a definição dos preços de venda das ações. A liquidação da oferta está prevista para o dia 22 de julho.

*Contribuíram Amélia Alves e Altamiro Silva Junior

Quer dar uma nota para este conteúdo?

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência e personalizar os conteúdos de acordo com a nossa

Política de Privacidade.