Pular para o conteúdo principal da pagina

Mercado

Entrada de capital externo na B3 em maio míngua e mês fecha com retirada de R$ 1,6 bilhão

Publicado por: Broadcast Exclusivo

conteúdo de tipo Leitura3 minutos

Atualizado em

04/06/2024 às 17:01

Por Beatriz Capirazi, Caroline Aragaki e Maria Regina Silva, do Broadcast

São Paulo, 04/06/2024 - A entrada de capital externo na B3 em maio, que perdurou até a última terça-feira, 28, minguou nos últimos dois dias do mês. Com isso, maio seguiu a tendência dos outros meses de 2024 e encerrou com uma retirada de R$ 1,634 bilhão, resultado de compras acumuladas de R$ 278,091 bilhões e vendas de R$ 279,725 bilhões.

Na sessão de sexta-feira, 31, os investidores estrangeiros retiraram R$ 809,076 milhões da B3. No dia, o Ibovespa fechou em queda de 0,50%, aos 122.098,09 pontos, acumulando perdas de 3,04% em maio. O giro financeiro do dia foi de R$ 33,2 bilhões.

No acumulado do ano, o capital externo está negativo em R$ 35,892 bilhões, o pior desempenho desde 2020, quando o mercado reagiu aos primeiros impactos da pandemia de Covid-19, que levaram a uma saída de R$ 76,847 bilhões na mesma base comparativa.

Analistas ouvidos pelo Broadcast já diziam que a melhora era meramente técnica, com os principais fatores que afugentam o investidor estrangeiro da Bolsa brasileira ainda incertos, sendo o maior deles a incógnita quanto ao início da queda dos juros nos Estados Unidos. Por ora, o mercado espera um início de flexibilização monetária pelo Federal Reserve (Fed, banco central americano) em setembro.

Relembre: Saída de estrangeiros da Bolsa é a maior desde 2020: entenda impactos no Ibovespa e no dólar

O economista-chefe de Mercados Emergentes da Capital Economics, William Jackson, avalia que o cenário doméstico se complicou em termos de política fiscal e por ruídos políticos envolvendo empresas. Para ele, o Brasil tem inclusive perdido atratividade ante outros países emergentes, com investidores mais otimistas com Índia e México, "pois são países que têm sido referência nas cadeias de abastecimento fora da China".

Entradas e saídas

Os investidores institucionais aportaram R$ 62,653 milhões na Bolsa no dia 31. No mês houve retirada líquida de R$ 3,115 bilhões, refletindo R$ 124,895 bilhões em compras e R$ 128,01 bilhões em vendas. Em 2024 a entrada de capital totaliza R$ 3,128 bilhões.

Os investidores individuais aportaram R$ 319,611 milhões na B3 no dia 31. Em maio entraram com R$ 2,429 bilhões, resultado de compras de R$ 68,949 bilhões e vendas de R$ 66,52 bilhões. No ano o investimento por pessoa física está positivo em R$ 19,195 bilhões.

As instituições financeiras retiraram R$ 470,764 milhões no dia em questão. No acumulado do mês houve retirada líquida de R$ 670,752 milhões, com compras de R$ 18,702 bilhões e vendas de R$ 19,373 bilhões. As financeiras aportaram neste ano R$ 6,682 bilhões.

Por fim, na categoria outros investidores houve entrada de R$ 897,575 milhões no dia 31. Em maio a categoria entrou com R$ 2,99 bilhões, refletindo R$ 5,315 bilhões em compras e R$ 2,324 bilhões em vendas. Em 2024 o investimento da categoria outros está positivo em R$ 7,248 bilhões.

Quer dar uma nota para este conteúdo?

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência e personalizar os conteúdos de acordo com a nossa

Política de Privacidade.