gravetos em vermelho e amarelo representando queda sob fundo azul

Economia

Diário Econômico | IPCA desacelera para 0,16% em março depois de registrar 0,83% no mês anterior

Publicado por: Análise BB

conteúdo de tipo Leitura4 minutos

Atualizado em

11/04/2024 às 13:06

Pontos principais

Segundo dados do IBGE, a inflação oficial do país, o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) avançou 0,16% em março de 2024 ante variação de 0,83% registrada no mês anterior. Esse número veio abaixo da mediana da expectativa de mercado da Bloomberg, que previa alta de 0,25%. Nesse cenário, o IPCA acumula alta de 1,42% no ano e variação de 3,93% em 12 meses.

Na composição do IPCA, cinco dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados apresentaram variações positivas, por outro lado, seis desses nove grupos desaceleraram na passagem mensal. Destaque para Alimentação e bebidas (0,53% ante 0,95%) e Educação (0,14% ante 4,98%). Por outro lado, três grupos ficaram em terreno negativo no mês passado, destaque para o setor de Transportes (-0,33% ante 0,72).

No recorte regional, na passagem de fevereiro para março, dentre as regiões pesquisadas pelo IBGE, apenas Porto Alegre registrou queda na inflação (-0,13%), devido ao recuo nos preços do setor de transportes (-1,19%). Nove localidades apresentaram variação acima da média nacional (0,16%), os maiores avanços nos preços foram observados em São Luís (0,81%) e Belém (0,54%) impactados, principalmente, pelos setores de alimentação e bebidas. Em Aracajú (0,50%), o aumento nos preços advém, principalmente, dos segmentos de transportes, habitação e alimentação e bebidas.

Variação mensal (%)

linha do tempo ds Variação Mensal (%)

Fonte: IBGE. Elaboração: BB Assessoramento Econômico. Atualização: mar/24. Referência: mar/24.

No acumulado em 12 meses, nove regiões metropolitanas registram inflação acima da média nacional (3,93%), com destaque para Belo Horizonte (5,07%), Fortaleza (4,72%) e Belém (4,69%), impactadas pelos itens educação e saúde e cuidados pessoais. Porto Alegre com variação acumulada em 2,86% marcou a menor variação dos preços nos últimos 12 meses, influenciado em parte, pelo recuo nos artigos de residência (-1,59%).

Variação acumulada em 12 meses (%)

variação em 12 meses gráfico azul e amarelo

Fonte: IBGE. Elaboração: BB Assessoramento Econômico. Atualização: mar/24. Referência: mar/24.

Impacto nos cenários

O resultado de março do IPCA está em linha com o nosso cenário de desaceleração da inflação em 2024, em que projetamos IPCA de 3,6% final do ano corrente ante 4,6% registrados em 2023. Do ponto de vista qualitativo, é importante ressaltar que a média dos núcleos em 12 meses segue em processo de desaceleração ao passar de 4,01% em fevereiro para 3,79% em março, mantendo a dinâmica de convergência em direção a meta estipulada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), que é de 3,0% para este ano. Além disso, a inflação de serviço, que tem sido tema de grande debate, também desacelerou tanto na passagem mensal (de 1,06% para 0,10%) quanto em 12 meses (de 5,25% para 5,09%). Destacamos que o movimento do lado dos preços de serviços, que já era esperado, se deu diante da dissipação dos aumentos de cursos regulares e diversos, serviços de comunicação e serviço bancário.

Leia também: Quais são os principais índices de inflação no Brasil e no exterior?

Cenário econômico - Resumo

Projeções e cenário base

Quer dar uma nota para este conteúdo?

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência e personalizar os conteúdos de acordo com a nossa

Política de Privacidade.