Economia

Copom mantém Selic em 10,50% a.a.

Em reunião nesta quarta-feira, comitê votou sobre a nova taxa básica de juros brasileira.

Publicado por: Análise BB

conteúdo de tipo Leitura3 minutos

Atualizado em

20/06/2024 às 14:35


O Comitê de Política Monetária (Copom) interrompeu ao ciclo de redução da taxa básica de juros pela primeira vez desde agosto do ano passado e manteve a Selic em 10,50% a.a.. A reunião aconteceu nesta quarta-feira (19).

Confira o comunicado na íntegra

Confira a análise dos especialistas do BB:

O que dizem os especialistas do BB

Em linha com as nossas expectativas, o Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) decidiu, em decisão unânime, manter a taxa básica de juros da economia em 10,50%. Essa foi a primeira interrupção do movimento de queda dos juros, que teve início em agosto de 2023.

O Comunicado emitido pelo Copom após a reunião evidenciou o cenário global mais adverso e que, para contrapor um ambiente inflacionário mais persistente, os juros internacionais deverão permanecer restritivos por período prolongado.

No Brasil, o Copom ressaltou que os números mais recentes sinalizam uma maior resiliência da atividade econômica e do mercado de trabalho, o que acaba por limitar o processo de desinflação que vem sendo observado desde meados de 2022.

Além disso, o comitê reforçou a preocupação com a piora das expectativas de inflação para o horizonte de projeção do Banco Central, fator que foi determinante para a interrupção do ciclo de queda dos juros. Adicionalmente, reafirmou a necessidade de uma política fiscal crível e comprometida com a sustentabilidade da dívida tanto para ajudar no controle das expectativas de inflação quanto para redução do prêmio de risco dos ativos financeiros.

Cabe destacar que o Comitê estimou um cenário alternativo em que a Selic se mantém estável por todo o horizonte relevante, que contempla o fim de 2025. Em nossa avaliação, este é uma sinalização clara de que o colegiado se mostra comprometido com a busca do centro da meta de inflação em 3,0%. Levando em consideração o conjunto informacional disponível, o time de economistas do Banco do Brasil avalia que o Copom deverá manter a taxa de juros em 10,50% até o primeiro semestre de 2025. Para o decorrer do ano, em função da expectativa de queda da incerteza global e de menores ruídos domésticos, entendemos que há espaço para uma redução gradual dos juros a partir do segundo semestre, o que levará a Selic para 9,75%.

O que é a taxa Selic?

A taxa Selic é o nome que se dá a taxa básica de juros do Brasil. A sigla vem de Sistema Especial de Liquidação e de Custódia, em que a Selic é a referência para definir as demais taxas de juros em todo país. A taxa é a maior ferramenta de política monetária em países que usam o sistema de meta de inflação, porque a variação de juros tem uma influencia direta em grandes indicadores da macroeconomia. Por isso, a cada 45 dias, o Copom se reúne para debater a manutenção dos juros de acordo com as estratégias para manter o país dentro da meta de inflação.

Entenda: Taxa Selic: o que é e como ela afeta a sua vida e seus investimentos

Quer dar uma nota para este conteúdo?

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência e personalizar os conteúdos de acordo com a nossa

Política de Privacidade.