Pular para o conteúdo principal da pagina
chimarrão bebida do sul

Mercado

Custo do crédito e inadimplência incomodam. Confira a análise do 1T24 do Banrisul (BRSR6)

Segundo analistas do BB Investimentos, o Banrisul entregou no 1T24 um resultado negativo.

Publicado por: Análise BB

conteúdo de tipo Leitura5 minutos

Atualizado em

15/05/2024 às 11:27


O Banrisul apresentou no 1T24 um resultado que consideramos negativo, com lucro líquido ajustado de R$ 187,6 milhões, equivalente a um ROAE trimestral de 7,7%. O resultado foi marcado por um avanço na margem financeira, mas com revés oriundo do maior custo do crédito, bem como maiores despesas. Vale lembrar que o resultado compreende números de fechamento de março, ou seja, não contemplam impactos provenientes das grandes enchentes que acometeram o estado do RS, cujo volume foi mais expressivo a partir do final de abril.

Momento

Após o resultado do 4T23, que foi amplamente favorecido pela redução das despesas com PDD resultante de, entre outros fatores, alterações metodológicas de reconhecimento, no 1T24 voltamos a ver um resultado fraco do Banrisul. Em nossa leitura, o principal detrator voltou a ser justamente o custo do crédito (despesas com provisões), que saltou de R$ 216 milhões no 4T23 para R$ 407 milhões, perfazendo 2,7% do total da carteira de crédito. Esse movimento veio na esteira da deterioração disseminada percebida pela escalada da inadimplência no período, que passou de 2% para 2,4% no geral, sendo de 1,8% para 2% na PF e de 2,6% para 3,7% na PJ.

Logo na sequência, outro ponto que chama a atenção é a estrutura de despesas persistentemente elevada do banco. Se por um lado despesas de pessoal e despesas administrativas crescem a um ritmo bastante aceitável no comparativo anual (5,4% e 5,5%), o mesmo não pode ser dito da linha Outras (que engloba despesas tributárias, provisões cíveis e trabalhistas, e demais), que escalou mais de 50% no período, sendo que seu volume não é nada desprezível, o que acabou pressionando o resultado geral, e manteve o índice de eficiência em 57,3%, melhor do que o 1T23 e o 4T23, mas significativamente pior do que outros pares no setor.

Essas linhas acabam ofuscando alguns movimentos que avaliamos como benignos no Banrisul, como a escalada da margem financeira (4% t/t e 22,9% a/a), a expansão da própria carteira de crédito, e a maior receita de prestação de serviços. Quanto à margem financeira, vimos de fato expansão conforme antecipada pelo banco, em resposta ao ciclo de queda na Selic, que alivia custos de captação enquanto a carteira vai cumprindo seu ciclo de rolagem a spreads mais elevados. Já a carteira de crédito se expandiu 7,5% no comparativo anual, variação que consideramos boa, com rural e imobiliário sendo destaque. Esta permitiu, em nossa visão, uma maior transacionalidade, que levou as receitas de serviços, a se elevarem excelentes 11% no comparativo ante o 1T23.

Desempenho das ações

Poucas ações observaram tendências tão bem definidas nos últimos 12 meses do que o Banrisul, em nossa observação, com movimentos duradouros e prolongados. Mas a verdade é que, alternando-se entre momentos de melhores expectativas com um ou outro resultado mais promissor, e decepções com diversos outros resultados pouco empolgantes, e culminando com as bruscas quedas registradas por conta do maior desastre climático do estado do RS, a oscilação no ano foi praticamente nula.

Apesar de já bem deprimida por conta do noticiário recente das enchentes, que acabam ainda por reduzir a probabilidade de gatilhos positivos para a ação no curto prazo, esperamos reação negativa no pregão hoje por conta de mais um conjunto de resultados majoritariamente desfavorável.

Perspectivas

O ano de 2024, que já trazia o desafio do crescimento e da busca por maior rentabilidade ao Banrisul, se agrava com toda a situação das enchentes no RS. Mesmo com, segundo o banco, 100% da rede de atendimento disponível, e apenas 5% da rede de agências afetada, é difícil imaginar um banco de atuação regional não sofrendo, ainda que pontualmente, por ocasião de alguma perda de capacidade de pagamento de parte dos clientes, ou de algum acréscimo em despesas extraordinárias por conta da tragédia, mesmo que de forma marginal.

Ainda assim, embora ainda vejamos a estrutura de custos tolhendo a capacidade do Banrisul de buscar uma maior rentabilidade a curto prazo, imaginamos ser possível uma expansão no lado das receitas para o ano, seguindo um movimento inercial da boa expansão da carteira em anos recentes, e com a margem financeira respondendo de maneira positiva ao ciclo de queda dos juros sendo capaz de compensar de alguma maneira estes custos. A incógnita fica por conta do custo de crédito, que sofreu revisão para cima no último guidance, e deve continuar pressionando por conta da inadimplência, que vem surpreendendo negativamente.

Preço-alvo e recomendação

Incorporamos os números do 1T24 ao valuation, e alteramos nosso preço-alvo para R$ 14,40 (antes R$ 13,50) para o final de 2024, reconhecendo receitas mais fortes dos que antecipávamos anteriormente. Apesar do elevado potencial diante do preço atual, mantemos nossa recomendação Neutra, levando em consideração as ponderações observadas nos parágrafos anteriores, e tendo como incógnitas adicionais os impactos ainda incertos por ocasião do episódio da enchentes no estado.

Disclaimer

Este é um relatório público e foi produzido pelo BB-Banco de Investimento S.A. (“BB-BI”). As informações e opiniões aqui contidas foram consolidadas ou elaboradas com base em informações obtidas de fontes, em princípio, fidedignas e de boa-fé. Embora tenham sido tomadas todas as medidas razoáveis para assegurar que as informações aqui contidas não sejam incertas ou equivocadas, no momento de sua publicação, o BB-BI não garante que tais dados sejam totalmente isentos de distorções e não se compromete com a veracidade dessas informações. Todas as opiniões, estimativas e projeções contidas neste documento referem-se à data presente e derivam do julgamento de nossos analistas de valores mobiliários (“analistas’), podendo ser alteradas a qualquer momento sem aviso prévio, em função de mudanças que possam afetar as projeções da empresa, não implicando necessariamente na obrigação de qualquer comunicação no sentido de atualização ou revisão com respeito a tal mudança. Quaisquer divergências de dados neste relatório podem ser resultado de diferentes formas de cálculo e/ou ajustes. O Disclaimer completo encontra-se no relatório.

Quer dar uma nota para este conteúdo?

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência e personalizar os conteúdos de acordo com a nossa

Política de Privacidade.