Pular para o conteúdo principal da pagina
prato com refeição completa de alimentos

Mercado

BRF reverte prejuízo e registra lucro líquido de R$ 594 milhões no 1º trimestre

Publicado por: Broadcast Notícias

conteúdo de tipo Leitura5 minutos

Atualizado em

13/05/2024 às 16:32

A BRF reportou um lucro líquido de R$ 594 milhões no primeiro trimestre de 2024 e reverteu o prejuízo de R$ 1,024 bilhão de igual período de 2023, segundo o resultado financeiro divulgado nesta terça-feira (7), depois do fechamento do mercado. A receita líquida da BRF foi de R$ 13,378 bilhões, acréscimo de 1,5% ante igual período de 2023. A empresa apresentou Ebitda ajustado de R$ 2,117 bilhões, 248,8% superior ao do primeiro trimestre de 2023, com margem de 15,8%, aumento 11,2 pontos porcentuais.

No release de resultados, a BRF afirmou que os resultados foram impulsionados pela evolução da eficiência operacional, a contínua disciplina financeira e estrutura de capital otimizada. O seu programa de eficiência, o BRF+ 2.0, apresentou captura de R$ 438 milhões no período, com avanços nas principais frentes operacionais na comparação ano contra ano.

Assim, a companhia atingiu a menor alavancagem em oito anos, de 1,45 vez. Há um ano, era de 3,35 vezes. Já a sua dívida líquida caiu 41% no período de um ano, sendo de R$ 9,016 bilhões no fim de março de 2024. A companhia também informou geração de caixa livre de R$ 844 milhões. No primeiro trimestre de 2023, a empresa havia apresentado consumo de caixa de R$ 1,002 bilhão.

A BRF relatou que a margem Ebitda no Brasil foi de 15,1%. Fora do Brasil, a margem Ebitda da companhia foi de 16,9%. Segundo a companhia, tal resultado foi possível ao avançar na estratégia de diversificação de mercados, com a conquista de 25 novas habilitações para exportações - que se somam às 66 do ano passado. Outra razão para o desempenho foi o bom desempenho na Turquia e nos países do Golfo, potencializado pelo efeito sazonal das celebrações do Ramadã e pela recuperação de preços de exportação com novas alternativas comerciais.

Acompanhe a temporada de balanços no InvesTalk

A companhia comercializou 1,153 milhão de toneladas de produtos de janeiro a março deste ano, um recuo de 1,9% em comparação com o volume de 1,176 milhão de toneladas de um ano antes. No segmento Brasil, a receita operacional líquida foi de R$ 6,152 bilhões, queda de 4% em comparação com igual intervalo do ano passado. Além disso, o preço médio dos produtos caiu 2,8%, para R$ 11,91 o quilo. Já no segmento internacional, a receita líquida foi de R$ 6,484 bilhões, alta de 5,5% na comparação anual. Por lá, o preço médio por produto cresceu 5,7%, para R$ 12,13.

"A acuracidade do sistema de precificação, aliada à estratégia de diversificação de mercados por meio de novas habilitações para exportação, nos possibilitou mais agilidade e capacidade de resposta para capturar as melhores oportunidades no mercado internacional. Além disso, o avanço da execução comercial no Brasil e o nosso modelo preditivo de compra de grãos também permitiram alavancar o crescimento da rentabilidade", disse o CEO da BRF, Miguel Gularte, na mensagem da administração.

Quer dar uma nota para este conteúdo?

Utilizamos cookies para oferecer uma melhor experiência e personalizar os conteúdos de acordo com a nossa

Política de Privacidade.